Filho de gato, gatinho é: Herança de pai para filho na política vem garantindo famílias no poder por gerações

A expressão, filho de gato, gatinho é, se encaixa muito bem no meio político. Os exemplos de homens públicos que montam uma carreira política e a entregam ao filho como herança acompanham o Brasil desde os tempos coloniais. De geração em geração, eles vão garantindo sua permanência no poder. Para especialistas, as chamadas oligarquias [governo de poucos] espalhadas pelo país não são um privilégio brasileiro, mas um fenômeno típico de repúblicas em que o político é mais importante que a bandeira ideológica de seu partido.

Vamos começar nosso estudo falando de João Campos, Fernando Bezerra Filho, Miguel Coelho, Lucas Ramos e Julio Lossio Filho, esses nomes são exemplos clássicos que os pais querem manter seus filhos na política para garantir que famílias fiquem ao poder por gerações em gerações.

João Campos, filho do finado Eduardo Campos e da viuvá Renata. Filho de Eduardo Campos, João Campos, foi lançado como candidato a deputado federal pelo partido nas eleições de 2018 durante o Congresso Estadual do PSB.

Fernando Bezerra Filho e Miguel Coelho, filhos do senador Fernando Bezerra Coelho, Fernando pai fez um grande investimento politicamente nos dois, claro, o clã da família sabia que o retorno seria de imediato. Hoje, Fernando Bezerra Coelho tem o prefeito de uma das maiores cidades do estado, Petrolina, um deputado federal e ministro ao mesmo tempo, ambos dentro da sua casa e na palma de sua mão.

Lucas Ramos, filho de Ranilson Brandão Ramos, foi deputado Estadual (1987-1990; 1995-1998; 1999-2002) e vereador no município de Petrolina (1983-1986), atualmente é o ouvidor do Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco. Ranilson lançou Lucas como candidato a deputado estadual em 2014, Lucas foi eleito com mais de 58 mil votos. Mostrando a tese do artigo, Ranilson vai lançar seu filho para disputar uma das cadeiras a deputado federal.

Julio Lossio Filho, como o próprio sobrenome já diz, filho do ex-prefeito de Petrolina Júlio Lossio. Conhecido popularmente por Julinho, em 2018 seu pai que colocou o bloco as ruas para disputar o governo de Pernambuco, poderá ser lançando candidato a deputado estadual.

Filho de gato, gatinho é: Herança de pai para filho na política pode garantir famílias no poder por gerações. Em muitas cidades Brasil a fora, podemos ver essa pratica escancarada. Em Lagoa Grande não é diferente, a briga pelo poder faz com que as famílias de alguma forma fiquem permanentes à frente de uma gestão.

Robson Amorim e seu filho Dhoni Amorim, Jorge Garziera e sua esposa Rose Garziera, todos os quatro foram ex-prefeitos de Lagoa Grande. Os dois primeiros, pai e filho, governaram a cidade por 8 anos, os dois últimos, casados, fiaram juntos 12 anos á frente da gestão municipal. Um verdadeiro exemplo de que a politica familiar é um bom negócio.

Na eleição do ano passado, tivemos dois casos semelhantes no legislativo, os vereadores Joaquim da Rocinha e o Sr. Erasmo Farias deram adeus a política, mas por outro lado, colocaram suas filhas para ocupar suas cadeiras. No caso dos dois vereadores, o mais engraçado foi a forma que os mesmos usaram os nomes de suas filhas nas urnas. ROSINEIDE DE SOUZA E SILVA MEDEIROS e IARA EVANGELISTA COELHO, estes são os nomes completos, mas nas urnas o eleitor encontrou ROSA DE ERASMO e IARA DE JOAQUIM NA ROCINHA, um verdadeiro jogo de mestre.

Joaquim da Rocinha foi mais longe, e cravou sua filha como a presidente da casa, ou seja, sua sucessora passou a gerir uma quantia bem alta na câmara de vereadores que conta com 11 vereadores e vários servidores.

Também não podemos esquecer do Vice-prefeito Ítalo de Vilma, Ítalo pertence a uma família de grande prestígio politico na cidade.

Everaldo

Licenciado em Física pelo Instituto Federal do Sertão Pernambucano. Professor de matemática e física do Ensino fundamental e médio da rede estadual de Pernambuco. Jornalista registrado sob o número 6829/PE, o blogueiro Everaldo é casado com Amanda Scarpitta e tem como foco: informação com responsabilidade e coerência.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta