Sem alarde: Michel Temer participa de agenda em Cabrobó. Solenidade deverá ser restrita a família Coelho.

3 min read
Apesar de retornar ao Estado para entregar a estação EBI-2 do Eixo Norte do Projeto...

Apesar de retornar ao Estado para entregar a estação EBI-2 do Eixo Norte do Projeto de Integração do Rio São Francisco, a presença do presidente Michel Temer (MDB) em Cabrobó, no Sertão pernambucano, não será uma cerimônia festiva. O evento não contará com a presença do governador Paulo Câmara (PSB) nem com aliados mais próximos do presidente, a exemplo do ex-ministro das Cidades Bruno Araújo (PSDB).

A solenidade, na verdade, deverá ficar restrita à família  Coelho, representada pelo ministro de Minas e Energia, Fernando Filho (sem partido), e o senador Fernando Bezerra Coelho (MDB).

Essa será a quarta visita de Temer a Pernambuco e a primeira sem a participação do governador que, segundo sua assessoria, retorna hoje dos Estados Unidos, onde passou um período de férias. A chegada do socialista está prevista para a tarde, enquanto a agenda em Cabrobó será pela manhã. O vice-governador Raul Henry (MDB) será o representante do estado na solenidade com o presidente.

O senador Armando Monteiro Neto (PTB), que faz parte do grupo de oposição que se prepara para enfrentar Paulo Câmara na eleição deste ano, junto com Bruno Araújo, o ministro de Educação, Mendonça Filho (DEM), e Fernando Bezerra, também não irá comparecer. O petebista justificou a ausência com a visita que fará hoje ao município de Moreno, na Região Metropolitana do Recife, com o prefeito Vavá Rufino (PTB). Armando também não vai mandar representante do seu grupo político.

Para os aliados de Paulo Câmara, o grupo de oposição representa no estado o palanque de Temer, que, na avaliação deles, tem discriminado o estado por não atender os pleitos do governador. Entre as reivindicações, a liberação da operação de crédito  junto ao BNDES levou Paulo Câmara por diversas vezes a Brasília, mas as promessas nunca saíram do papel. A conclusão da Adutora do Agreste é outra preocupação diante da crise hídrica enfrentada pelo Estado.

O valor da obra está calculado em R$ 1,4 bilhão, mas até agora foram repassados R$ 804,5 milhões. O débito do governo federal com a Compesa, órgão responsável pela execução do projeto, é de R$ 595 milhões.

Entre os socialistas, o deputado federal Danilo Cabral tem feito duras declarações contra o governo Temer. Ultimamente, tem centrado suas críticas principalmente na questão relativa à privatização da Chesf. Ontem, ao falar sobre a visita do presidente à cidade de Cabrobó o parlamentar deixou claro o descrédito aos anúncios feitos pelo emedebista para Pernambuco.

“Temer foi pessoalmente a Surubim dar ordem de serviço para recuperar a estrutura da barragem de Jucazinho e até hoje nada aconteceu. Esteve aqui ano passado em maio e prometeu liberar a operação de crédito do BNDES e não saiu do papel. A palavra do presidente Temer vale tanto quanto uma nota de três reais”, provocou Danilo.  Até maio do ano passado, o PSB fazia parte da base do governo Temer.

Do blog do Magno Martins

Deixe uma resposta