Governo do Distrito Federal suspende aulas devido o coronavírus


O governador Ibaneis Rocha (MDB) decretou, nesta quarta-feira (11), a suspensão das aulas na rede pública e privada por cinco dias, além de eventos que exijam licenças do governo do Distrito Federal, devido ao novo coronavírus.

O decreto foi publicado em edição extra do Diário Oficial e entra em vigor já nesta quarta. Segundo a medida, serão afetados:

  • Eventos, de qualquer natureza, que exijam licença do poder público, com público superior a cem pessoas;
  • Atividades educacionais em todas as escolas, universidades e faculdades, das redes de ensino pública e privada.

Além disso, “os bares e restaurantes deverão observar na organização de suas mesas a distância mínima de dois metros entre elas”. O texto afirma ainda que a medida pode ser reavaliada a qualquer momento, até mesmo antes do prazo de cinco dias (veja imagem abaixo).

Decreto suspende aulas e eventos no DF por cinco dias devido ao coronavírus — Foto: Diário Oficial do DF/ReproduçãoDecreto suspende aulas e eventos no DF por cinco dias devido ao coronavírus — Foto: Diário Oficial do DF/Reprodução

Decreto suspende aulas e eventos no DF por cinco dias devido ao coronavírus — Foto: Diário Oficial do DF/Reprodução

O DF tem dois casos confirmados do novo coronavírus. Trata-se de um casal que viajou ao Reino Unido e à Suíça, no mês passado. A mulher, de 52 anos, está internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Regional da Asa Norte. Já o marido está em isolamento em casa.

Justificativa

Segundo o governador, a medida tem o objetivo de garantir uma análise das medidas a serem tomadas depois que a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou pandemia de Covid-19.

“Eu preciso de um prazo para absorver a decisão que foi tomada mundialmente.”

Segundo Ibaneis, “precisamos de um prazo para saber o que vamos fazer. Ele pode aumentar, vai depender do que a gente tiver de confirmação de casos”, disse.

“Todos nós precisamos digerir essa situação.”

A saúde do DF já estava em estado de emergência por conta da Covid-19. Em 29 de fevereiro, o governador decretou a medida alegando “risco de pandemia”. À época, Ibaneis disse que pretendia “tranquilizar a população, estabelecendo medidas que são necessárias”.

Reação

À reportagem, o presidente do Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino Particulares do DF (Sinepe-DF), Álvaro Domingues, disse que soube da medida pela imprensa. Ele afirma que a suspensão deve ter impacto na vida de cerca de 600 mil estudantes, sendo 180 mil na rede particular.

“O maior problema é conseguir fazer com que as pessoas recebam a informação. A forma mais serena seria a escola funcionar amanhã e, posteriormente, com a comunidade toda informada, conseguir não funcionar as escolas a partir de sexta”, disse.

Já o Sindicato dos Professores do DF (Sinpro-DF) disse que só vai se manifestar após a publicação do decreto. A Universidade de Brasília (UnB) afirmou, em nota, que “neste momento, não há previsão de suspensão do calendário acadêmico na UnB”.

‘Efeito oposto’

Depois de participar de uma reunião na Câmara dos Deputados, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse a jornalistas que Ibaneis deve ter “cuidado” com o decreto que suspende aulas e eventos.

“Ele [o governador] tem que ter muito cuidado, porque, caso essas crianças e adolescentes deixem de estar na escola e vão para a casa dos avós, aqueles que mais precisam de proteção são os idosos. Ele [o governador] não tem transmissão sustentada no DF, pode ser que faça uma semana e comece transmissão sustentada. Aí começa dos idosos, que são aqueles que você mais quer proteger”, afirmou o ministro.

“Hoje, neste momento, não é uma recomendação do governo”, acrescentou Mandetta.

Questionado se a decisão do governador do DF pode gerar um efeito cascata em outros estados, Mandetta disse que essa decisão cabe aos governadores. “Nossa preocupação é proteger ao máximo os idosos”, frisou.

Ainda sobre o decreto de Ibaneis, o ministro da Saúde disse que o “efeito [da medida] pode ser o oposto” do desejado.

Coronavírus no DF

Segundo boletim divulgado pelo Ministério da Saúde nesta quarta-feira, o Distrito Federal tem 74 casos suspeitos e dois confirmados do novo coronavírus. Outros 28 foram descartados.

A mulher de 52 anos que foi a primeira paciente confirmada com a doença na capital segue internada em isolamento no Hran. De acordo com boletim divulgado pela Secretaria de Saúde, ela segue na UTI, em estado grave e respirando com a ajuda de aparelhos.

O marido dela, que teve o diagnóstico confirmado na terça-feira (10), está isolado em casa. A Justiça chegou a determinar que ele fizesse o teste para descobrir se foi infectado pelo vírus.

Everaldo

Licenciado em Física pelo Instituto Federal do Sertão Pernambucano. Professor de matemática e física do Ensino fundamental e médio da rede estadual de Pernambuco. Jornalista registrado sob o número 6829/PE, o blogueiro Everaldo é casado com Amanda Scarpitta e tem como foco: informação com responsabilidade e coerência.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta