Lagoa Grande baixa faixa etária de vacinação contra a Covid-19 para 18 anos; adolescentes de 12 a 17 anos com comorbidades também podem se vacinar 

Imagem: Sávio Oliveira

A Prefeitura de Lagoa Grande, por meio da Secretaria de Saúde, avança na vacinação contra a Covid-19 no município. Nesta quarta, dia 01, começa a imunização das pessoas com idade de 18 anos ou mais.  De acordo com a Secretaria, o município também irá imunizar os adolescentes entre 12 e 17 anos, portadores de comorbidade, esse público compõem um grupo populacional com risco quadro clínico grave e letalidade para a COVID-19.

Veja o cronograma abaixo

  • Quarta-Feira (01), no PSF 04 em Vermelhos, das 8h às 12h.
  • Quinta-Feira (02), na Sede, bairro Morada Nova (quadra próximo a cozinha comunitária), a partir das 17h..
  • Sexta-Feira (03), no PSF 05 em Jutaí, das 8h às 12h.

As vacinas são distribuídas conforme demanda e ordem de chegada, sem a possibilidade de escolha por parte do usuário. A Secretaria de Saúde pede que as pessoas respeitem as orientações para que a ação ocorra da melhor forma possível. É necessária a apresentação do Cartão do SUS, comprovante de residência, um documento oficial com foto e um documento que comprove a comorbidade.

Lista de comorbidades a serem consideradas para vacinação contra a COVID-19 de adolescentes de 12 a 17 anos

Grupo de

Comorbidades

Descrição
Diabetes mellitus Diabete Mellitus (Tipo1) Crianças com condição insulino-dependente – com Receita de insulina e/ou dosagem de hemoglobina glicada

alterada.

 

Pneumopatias crônicas graves

Indivíduos com pneumopatias graves incluindo doença pulmonar obstrutiva crônica, fibrose cística, fibroses pulmonares, pneumoconioses, displasia broncopulmonar e asma grave (uso recorrente de corticoides sistêmicos, internação nos últimos 12 meses ou internamento anterior em UTI por crise asmática).

Asma em uso continuo/diário de duas medicações de controle/preventivas por via inalatória, ou omalizumabe ou corticoide via oral.

Asma com internamento hospitalar nos últimos 12 meses, comprovado por resumo de alta hospitalar.

Lista de comorbidades a serem consideradas para vacinação contra a COVID-19 de adolescentes de 12 a 17 anos

Hipertensão Arterial Sistêmica

(HAS)

 

Qualquer indivíduo hipertenso em uso de um ou mais medicamentos

Doenças cardiovasculares
Insuficiência

cardíaca (IC)

IC com fração de ejeção reduzida, intermediária ou preservada; em estágios B, C ou D, independente de classe funcional da New York

Heart Association

Cor-pulmonale e Hipertensão

pulmonar

 

Cor-pulmonale crônico, hipertensão pulmonar primária ou secundária

Cardiopatia

hipertensiva

Cardiopatia hipertensiva (hipertrofia ventricular esquerda ou dilatação, sobrecarga atrial e ventricular, disfunção diastólica e/ou sistólica,

lesões em outros órgãos-alvo)

Síndromes

coronarianas

Síndromes coronarianas crônicas (Angina Pectoris estável, cardiopatia isquêmica, pós Infarto Agudo do Miocárdio, outras)
Valvopatias Lesões valvares com repercussão hemodinâmica ou sintomática ou com comprometimento miocárdico (estenose ou insuficiência

aórtica; estenose ou insuficiência mitral; estenose ou insuficiência pulmonar; estenose ou insuficiência tricúspide, e outras)

Miocardiopatias e

Pericardiopatias

Miocardiopatias de quaisquer etiologias ou fenótipos; pericardite crônica; cardiopatia reumática
Doenças da Aorta, dos Grandes Vasos e Fístulas

arteriovenosas

 

Aneurismas, dissecções, hematomas da aorta e demais grandes vasos

Arritmias cardíacas Arritmias cardíacas com importância clínica e/ou cardiopatia associada (fibrilação e flutter atriais; e outras
Cardiopatias

congênitas

Cardiopatias congênitas com repercussão hemodinâmica, crises hipoxêmicas; insuficiência cardíaca; arritmias; comprometimento

miocárdico.

Próteses valvares e Dispositivos cardíacos

implantados

 

Portadores de próteses valvares biológicas ou mecânicas; e dispositivos cardíacos implantados (marca-passos, cardio desfibriladores, ressincronizadores, assistência circulatória de média e longa permanência)

 

 

 

Doenças neurológicas crônicas

Doença cerebrovascular (acidente vascular cerebral isquêmico ou hemorrágico; ataque isquêmico transitório; demência vascular); doenças neurológicas crônicas que impactem na função respiratória, indivíduos com paralisia cerebral, esclerose múltipla e condições similares; doenças hereditárias e degenerativas do sistema nervoso ou muscular; deficiência neurológica grave.

 

Doença neurológica com comprometimento de deglutição ou situação que aumente risco de doença pulmonar, doenças infectocontagiosas ou doença cardiovascular. As crianças com Transtorno do Espectro Autista, Hiperatividades, Acidente Vascular Encefálico Mielite Transversa Paralisia cerebral com descrição de limitações Pacientes acamados.

Doença renal

crônica

Doença renal crônica estágio 3 ou mais (taxa de filtração glomerular < 60 ml/min/1,73 m2) e/ou síndrome nefrótica.
 

 

Imunossuprimidos

Indivíduos transplantados de órgão sólido ou de medula óssea; Doença Congênita/Rara/Genética/Autoimune ou outras condições que prejudiquem a resposta imunológicas no momento atual (em tratamento). Doenças reumatológicas com uso de medicamentos imunossupressores Pessoa vivendo com HIV Neoplasias ou doenças hematológicas em tratamentos ou que justifiquem imunossupressão.

Hemoglobinopatias graves: Doença falciforme e talassemia maior.

 

 

Obesidade Grave

Obesidade – IMC igual ou maior que o percentil 97 ou escore Z +2 – por meio das avaliações e curvas de crescimento. Utilizar o gráfico de estatura, peso e IMC do respectivo sexo e faixa etária. Gráfico: Meninos: 5 a 19 anos https://www.who.int/growthref/cht_bmifa_boys_p erc_5_19years.pdf?ua=1 Meninas: 5 a 19 anos https://www.who.int/growthref/cht_bmifa_girls_p erc_5_19years.pdf?ua=1%C2%A0

com Atestado Médico/Declaração médico contendo peso, altura e IMC nas Curvas de Crescimento da OMS..

Síndrome de down Trissomia do cromossomo 21
Cirrose hepática Cirrose hepática Child-Pugh A, B ou C.

ASCOM – PMLG

Everaldo

Licenciado em Física pelo Instituto Federal do Sertão Pernambucano. Professor de matemática e física do Ensino fundamental e médio da rede estadual de Pernambuco. Jornalista registrado sob o número 6829/PE, o blogueiro Everaldo é casado com Amanda Scarpitta e pai de duas filhas lindas, Kassiane e Kauane. O foco principal do blog é informação com responsabilidade e coerência, doa a quem doer!

Você pode gostar...

Deixe um comentário