Projetos de lei 05/2017 e 11/2017: Falta de Articulação do prefeito Vilmar, põe vereadores da situação em maus lençóis.

Diferente do prefeito de Afrânio (PE), no Sertão do São Francisco, Rafael Cavalcanti, que resolveu reduzir 10% do próprio salário, do vice, dos secretários e de todos os demais funcionários que receberem salário acima do mínimo nacional, o prefeito de Lagoa Grande, Vilmar Cappellaro vai pelo o outro lado da via.

Um fato curioso que houve na sessão da semana passada foi a falta de articulação promovida pela equipe de Vilmar Cappellaro, no mesmo dia que o prefeito orientou sua bancada a votar contra o Projeto de Lei 005/2017, onde reduzia para 30 horas a carga horária dos profissionais de enfermagem, encaminhou a casa o Projeto de Lei 011/2017 que cria seis cargos comissionados, com esses cargos o município terá um incremento na sua folha de pagamento de R$ 9.450,00 (nove mil quatrocentos e cinquenta reais) por mês.

Estar em maus lençóis é quando alguém está numa situação ruim, está numa posição desfavorável, numa situação de dificuldade.

O vídeo abaixo mostra parte do discurso do vereador da oposição Carlinhos Ramos falando do projeto Lei 011/2017 e da futura postura dos vereadores da bancada do prefeito.

Umas das alegações dos 6 vereadores da oposição era que a aprovação do projeto ia criar despesas para o município, uma preocupação aparentemente justa, e deixa claro que o projeto de Lei 011/2017, que vai criar os 6 cargos comissionados será reprovado pelo mesmo critério usado pelos vereadores Josafá Pereira, Nena Gato, Fernando Angelin, Mantena, Edneuza Lafaiete e Alvanir Gomes.

 

Everaldo

Licenciado em Física pelo Instituto Federal do Sertão Pernambucano. Professor de matemática e física do Ensino fundamental e médio da rede estadual de Pernambuco. Jornalista registrado sob o número 6829/PE, o blogueiro Everaldo é casado com Amanda Scarpitta e tem como foco: informação com responsabilidade e coerência.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta