CNBB divulga nota e diz que Kelmon não tem vínculo com Igreja Católica

Às vésperas da eleição, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) divulgou nota na tarde desta sexta-feira (30) sobre o candidato do PTB à Presidência da República, Padre Kelmon Luis da Silva Souza.

O texto diz que “em atenção aos fiéis que enviam perguntas à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), esclarecemos:

1- O senhor Kelmon Luís da Silva Souza, candidato que se apresenta como “padre Kelmon”, não é sacerdote da Igreja Católica Apostólica Romana, sendo, portanto, de outra confissão religiosa, sem qualquer ligação com a Igreja sob o magistério do Papa Francisco.

2- Oportuno ressaltar que, conforme vigência na Lei Canônica, os padres da Igreja Católica, em pleno exercício do ministério sacerdotal, não disputam cargos políticos, nem se vinculam a partidos.”

A CNBB é presidida pelo arcebispo metropolitano de Belo Horizonte, dom Walmor Oliveira de Azevedo.

Defesa

Na terça-feira (27), diante do que considerou “calúnias e difamações”, o arcebispo primaz da Igreja Católica Apostólica Ortodoxa do Peru, Mor Francisco, Ángel Ernesto Morán Vidal, defendeu o candidato PTB à Presidência da República do Brasil, que estaria sendo alvo de acusações por parte de outras jurisdições ortodoxas no país.

Em vídeo, o arcebispo primaz disse: “Cabe manifestar e reafirmar ante difamações e calúnias que vêm acontecendo contra o nosso querido Padre Kelmon. Hoje, como autoridade eclesiástica, a mesma que está subordinado o nosso querido Padre Kelmon, que é um padre com decência pastoral, quero reafirmar que Padre Kelmon é parte de nossa jurisdição eclesiástica”, disse o arcebispo no vídeo, lembrando que a igreja que representa trabalha em 16 países.”

Em 14 e 26 de setembro, a Igreja Sirian Ortodoxa de Antioquia no Brasil informou, em duas notas à imprensa, que Kelmon não integra nenhuma paróquia, nem comunidades, missões e obras sociais. Também afirmou que ele não foi seminarista ou integrante do clero no Brasil ou em qualquer outro país.

Na sequência, a assessoria da campanha do petebista informou, em nota, que, em novembro, Padre Kelmon será sagrado Bispo pela Igreja Católica Apostólica Ortodoxa do Peru, com a missão de iniciar no Brasil a Igreja de Tradição Canônica Siro Ortodoxa Malankar. A partir daí, será transferido a ele os poderes eclesiásticos para conduzir a Igreja no Brasil.

E mais: “Antes de fazer parte da Igreja Católica Apostólica Ortodoxa do Peru, Padre Kelmon foi membro da Igreja Apostólica Ortodoxa da América, onde foi ordenado padre no dia 2 de agosto de 2015 pelo Bispo Kyrios Ioannis de Santa Catarina”.

Everaldo

Licenciado em Física pelo Instituto Federal do Sertão Pernambucano. Professor de matemática e física do Ensino fundamental e médio da rede estadual de Pernambuco. Jornalista registrado sob o número 6829/PE, o blogueiro Everaldo é casado com Amanda Scarpitta e pai de duas filhas lindas, Kassiane e Kauane. O foco principal do blog é informação com responsabilidade e coerência, doa a quem doer!

Você pode gostar...

Deixe um comentário