Ex-prefeito de Lagoa Grande disse que entregou prefeitura com quase R$ 858 mil. Atual prefeito contesta e diz que situação do município é alarmante.

2 min read
Após balanço realizado junto à Secretaria Municipal de Administração, Planejamento e Finanças, o ex-prefeito Dhonikson...

Após balanço realizado junto à Secretaria Municipal de Administração, Planejamento e Finanças, o ex-prefeito Dhonikson Amorim teve a satisfação de registrar que ao término do seu mandato no dia 31 de dezembro de 2016, ficou em contas um saldo de R$ 858.219,22. (oitocentos e cinquenta e oito mil duzentos e dezenove reais e vinte e dois centavos), valor que representa 20% do FUNDEB que é repasse direto do Tesouro Nacional.

No dia 29 de dezembro o ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Raimundo Carreiro acatou recurso do governo federal e liberou no mesmo dia o repasse aos municípios, ainda em 2016, de uma verba extra de cerca de R$ 5 bilhões da chamada repatriação de recursos mantidos ilegalmente no exterior por brasileiros.

O blog entrou em contato com o ex-gestor para saber se esse saldo deixada foi oriundo da verba extra da chamada repatriação, ou não. Vale destacar que os servidores da educação até o ultimo dia 05 de janeiro ainda cobravam os seus vencimentos referente ao mês de dezembro e o retroativo.

Os valores de R$ 858.219,22. (oitocentos e cinquenta e oito mil duzentos e dezenove reais e vinte e dois centavos) correspondem as secretarias de Educação e Saúde.

Por outro lado, o atual prefeito de Lagoa Grande Vilmar Cappellaro disse que a situação que recebeu o município é alarmante. Ainda sem completar o balanço financeiro do que encontrou no município, o prefeito de Lagoa Grande, no Sertão do São Francisco, Vilmar Cappellaro (PMDB), revelou que pelo que vem sendo levantado por sua equipe, a situação não é nada boa.

Em breve iremos divulgar o balanço completo, mas adianto que a situação não está nada agradável”, lamentou o prefeito.

 

Deixe uma resposta