Prédios da Prefeitura tiveram energia cortada. Prefeitura tem débitos com CELPE desde 2015, e a taxa da iluminação continua sendo arrecadada da população

Na manhã de sexta, 09, uma notícia se alastrou como sarna pelas redes sociais; a CELPE havia cortado a energia elétrica de alguns prédios públicos, entre eles o matadouro municipal (açougue) e o Setor de Arrecadação de Tributos, a principal porta de entrada de recursos para os cofres públicos. Não é a primeira vez que isto acontece. Servidores que chegaram para o trabalho tiveram um dia desagradável. Alguns cidadãos que procuraram por atendimento perderam a viagem. Os recolhimentos de impostos ficaram comprometidos e no matadouro municipal (açougue), as carnes tiveram que ser removidas as pressas pelos marchantes para não amargarem o prejuízo.

O Sr. Valdemar Lopes residente no bairro: Morada Nova questiona o Prefeito “Agora veja isso. A prefeitura arrecada tanto com esta taxa e tem energia cortada é por isso eu já decidi. Eu vou votar em Vilmar Cappellaro, por que eu tenho a certeza que ele vai fazer um governo sério e vai reduzir esta taxa que é muito pesada para nós que somos pequenos” declarou.

Circulou a informação de que a prefeitura tem 35 imóveis, próprios e alugados e com contas parceladas desde o final de 2015. A população continua questionando a taxa de iluminação pública.

Em recente entrevista no rádio, o Prefeito Dhoni afirmou “Eu quero dizer aqui, que quem bem sabe da arrecadação da iluminação pública da cidade sou eu. Agente arrecada hoje R$ 69.000,00, só que destes R$ 69.000,00, agente tem que retornar a CELPE R$40.000,00, em torno de R$ 40.000,00 e sobra aí R$ 29.000,00 pra gente e pra… pagar a iluminação pública e dos 40 e poucos do município agente retorna, quero dizer que dos R$ 29.000, agente fez muito pela cidade com este R$ 29.000,00 (…)” declarou Dhoni Amorim.

O projeto de lei do executivo criando a tabela desta exorbitante taxa foi o de nº 043 de 16 dezembro de 2013, que em seu art. 7º criou o Fundo Municipal de Arrecadação administrado pela secretaria de Finanças, para custear os serviços de iluminação pública. Curioso é que já faz um bom tempo que a secretaria de Finanças foi extinta pelo Prefeito e incorporada á secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão administrada pelo pai do Prefeito e que nunca prestou contas da arrecadação da taxa desde a sua criação.

“Existe uma grande arrecadação da prefeitura que vem dos governos federal, estadual e local para investir em infraestrutura e outros serviços públicos, o dinheiro vem pra tudo, então o que falta é um bom administrador. Conheço bem Vilmar e posso falar ele é uma pessoa capacitada pra colocar ordem nisso” pontuou Lindoardo Galdino da Silva, morador do bairro Vasco. Outro fato curioso que a população percebeu foi que no tradicional desfile de sete de setembro na Avn. Principal do Distrito de Vermelhos, dezenas de postes estavam com lâmpadas apagadas.

tributo-1-1024x768

Texto da Coordenação de Comunicações Coligação “Avante Lagoa Grande 15”

Jornalista responsável – Sérgio Martins 6056/DRT PE (87) 9 9997.7661

Compartilhar:

Everaldo

Licenciado em Física pelo Instituto Federal do Sertão Pernambucano. Professor de matemática e física do Ensino fundamental e médio da rede estadual de Pernambuco. Jornalista registrado sob o número 6829/PE, o blogueiro Everaldo é casado com Amanda Scarpitta e tem como foco: informação com responsabilidade e coerência.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta