Isolado de Paulo Câmara (PSB), o Senador Fernando Bezerra (PSB) se articula para 2018

Por trás do resultado da escolha do novo líder do PSB na Câmara dos Deputados, ontem à noite em Brasília, é possível descrever bastidores que têm tudo a ver com mais um capítulo da disputa interna e silenciosa que se trava entre duas correntes do partido que tendem a medir forças nas eleições de 2018. A nova líder, Tereza  Cristina (PSB/MS), que frustrou o sonho de Tadeu Alencar em virar personagem nacional, teve o apoio do senador Fernando Bezerra Coelho e do seu filho, o ministro Fernando Filho, de Minas e Energia.

Fernando se aliou ao grupo do PSB paulista, comandado de São Paulo pelo vice-governador Márcio Lacerda, para derrotar a ala hegemônica do partido em Pernambuco, liderada pelo governador e o prefeito do Recife, que lhe negam pão e água.

A eleição do novo líder do PSB levou Paulo Câmara a usar das suas prerrogativas de demitir o secretário de Turismo, Felipe Carreras, por uma semana,  para este, na condição de mandatário de uma das cadeiras do PSB na Câmara Federal, reforçar a votação em Tadeu Alencar. Mas de nada adiantou. Além da maioria fiel à ala do socialismo paulista, a nova líder contou com o voto velado do deputado João Fernando Coutinho, um ex-eduardista que provou e gostou da cenoura dos Coelhos, virando fiel apóstolo do senador Fernando Bezerra.

Com duas derrotas seguidas – a primeira foi abocanhar o Ministério de Minas e Energia a contragosto do governador – o senador de Petrolina vai se firmando como a grande liderança do PSB pernambucano que contraria com competência os que se julgam dono do partido. (Texto: Blog do Magno)

Everaldo

Licenciado em Física pelo Instituto Federal do Sertão Pernambucano. Professor de matemática e física do Ensino fundamental e médio da rede estadual de Pernambuco. Jornalista registrado sob o número 6829/PE, o blogueiro Everaldo é casado com Amanda Scarpitta e tem como foco: informação com responsabilidade e coerência.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta