1.501 pessoas foram infectadas com Covid-19 em Petrolina e Miguel confirma prescrição da ivermectina para pacientes, mas Anvisa questiona eficácia

A Prefeitura de Petrolina confirmou dois novos casos positivos da covid-19, ambos por exames analisados laboratorialmente. Com esses novos positivados, o município ultrapassou a marca dos 1.500 casos do novo coronavírus. Atualmente Petrolina tem os seguintes números: 1.501 casos do novo coronavírus, 36 óbitos, 604 pessoas recuperadas e 861 pacientes continuam infectadas.

Uso da ivermectina

Devido ao aumento significativo dos casos, Miguel Coelho confirmou que a cidade vai adotar o protocolo de prevenção da síndrome respiratória aguda grave com prescrição da ivermectina para pacientes confirmados da covid 19. Uma licitação feita recentemente garantiu a compra da medicação que deve chegar a cidade nos próximos 15 dias.

O que acha a Agencia Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA)

Faz quatro dias que a  Anvisa divulgou uma Nota de esclarecimento sobre a ivermectina (abra o link). “Diante das notícias veiculadas sobre medicamentos que contêm ivermectina para o tratamento da Covid-19, a Anvisa esclarece: Inicialmente, é preciso deixar claro que não existem estudos conclusivos que comprovem o uso desse medicamento para o tratamento da Covid-19, bem como não existem estudos que refutem esse uso.  Até o momento, não existem medicamentos aprovados para prevenção ou tratamento da Covid-19 no Brasil. Nesse sentido, as indicações aprovadas para a ivermectina são aquelas constantes da bula do medicamento. Cabe ressaltar que o uso do medicamento para indicações não previstas na bula é de escolha e responsabilidade do médico prescritor.”

Everaldo

Licenciado em Física pelo Instituto Federal do Sertão Pernambucano. Professor de matemática e física do Ensino fundamental e médio da rede estadual de Pernambuco. Jornalista registrado sob o número 6829/PE, o blogueiro Everaldo é casado com Amanda Scarpitta e tem como foco: informação com responsabilidade e coerência.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta