Prefeito de Itabi, em Sergipe, fura a fila e toma a vacina contra a Covid-19

A decisão do prefeito do município de Itabi, Júnior de Amynthas, (DEM), de 46 anos, de tomar a vacina contra a Covid-19, nesta terça-feira (19), durante o início da vacinação na cidade dividiu opiniões. O motivo é que ele não faria parte do grupo que está na fase inicial da vacinação, que prevê a imunização de profissionais da saúde que atuam na linha de frente da Covid-19, idosos institucionalizados e indígenas aldeados.

Por nota em uma rede social, ele justificou o ato como sendo “uma forma de incentivar a população para que tomasse a vacina” e que “é facultado aos estados e municípios adequar a vacinação à realidade local”. “O prefeito Júnior de Amynthas foi imunizado, em um ato de demonstração de segurança, legitimidade e eficácia da vacina, para incentivar a população Itabiense a vacinar-se, tendo em vista os receios existentes a esse respeito – o que não configura um ato de caráter político”.

Ao todo, o município recebeu 31 doses para a primeira fase da vacinação. Até o último boletim epidemiológico divulgado nesta segunda-feira (18), a cidade havia registrado 51 casos e uma morte pela Covid-19.

Prefeito publicou nota em rede social justificando a atitude — Foto: Reprodução/Intagram

Prefeito publicou nota em rede social justificando a atitude — Foto: Reprodução/Intagram

O estado de Sergipe informou, por intermédio da Procuradoria Geral do Estado (PGE), que apresentou, junto ao Ministério Público, Representação para apuração de possível ilícito penal e ato de improbidade administrativa praticado pelo prefeito. Já que ele se apresentou para ser vacinado mesmo não sendo integrante do grupo prioritário previsto no Plano Nacional de Vacinação- PNI e no Plano Estadual de Vacinação- PEV.

“Os planos de vacinação seguem a lógica de proteção à saúde humana e estratégia de enfrentamento à doença, com prioridade fixada para, de um lado, proteger os mais sensíveis e, de outro, resguardar os profissionais que atuam na linha de frente. Quando nos deparamos com a situação narrada, da odiosa figura do “fura-fila”, caso confirmada, não se estimula apenas a transgressão, mas reforça uma agressão moral à toda sociedade que deve ser duramente reprimida”, comentou o Procurador Geral do Estado Vinicius Oliveira.

Caberá ao Ministério Público dar prosseguimento aos trâmites penais e administrativos para apuração da conduta do prefeito.

O Ministério Público Federal (MPF) notificou o prefeito do município e cobrou explicações sobre a situação. No ofício, o MPF pede que as respostas sejam enviadas em até vinte e quatro horas. O Ministério da Saúde (MS) informou que não há ilegalidade no ato do prefeito. A divisão de grupos do plano de imunização é uma recomendação, que pode ser seguida ou não pelos municípios.

Fases do Plano de Vacinação em Sergipe:

1ª fase

  • Trabalhadores da saúde
  • Pessoas com 60+ institucionalizado
  • Indígenas aldeados

2ª fase

  • Pessoas de 80 e mais
  • Pessoas de 75 a 79 anos
  • Pessoas de 70 a 74 anos
  • Pessoas de 65 a 69 anos
  • Pessoas de 60 a 64 anos

3ª fase

  • Pessoas com comorbidades

4ª fase

  • Professores
  • Profissionais das forças de segurança e salvamentos
  • Pessoas privadas de liberdades
  • Funcionários do sistema prisional

G1 – Sergipe.

Everaldo

Licenciado em Física pelo Instituto Federal do Sertão Pernambucano. Professor de matemática e física do Ensino fundamental e médio da rede estadual de Pernambuco. Jornalista registrado sob o número 6829/PE, o blogueiro Everaldo é casado com Amanda Scarpitta e pai de duas filhas lindas, Kassiane e Kauane. O foco principal do blog é informação com responsabilidade e coerência, doa a quem doer!

Você pode gostar...

Deixe uma resposta