Senado faz debate final e decide sobre o impeachment de Dilma.

O presidente do STF, Ricardo Lewandowski, abriu a sessão desta terça-feira do julgamento do impeachment no Senado. O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, deve suspender o julgamento desta terça-feira para a sessão não avançar na madrugada e deixar a votação final do impeachment somente para a quarta-feira.

Presidenta Dilma fala por mais de 13 horas no Senado. Confira os destaques
Confira a íntegra do discurso de Dilma em julgamento do impeachment no Senado

Na manhã desta terça, haverá o debate entre acusação e defesa. Cada advogado tem 1h30 para falar, com direito a réplica e tréplica. Em seguida, cada senador terá dez minutos para fazer um pronunciamento sobre o impeachment. Até agora, há 61 inscritos.

O cenário preocupa os aliados do governo do presidente em exercício, Michel Temer, que estava planejando viajar para o encontro do G-20 na China nesta quarta. A avaliação de assessores do presidente do STF é que a votação só poderá acontecer nesta terça se os senadores abrirem mão de usarem a tribuna.

O presidente do STF, Ricardo Lewandowski, vai ler um resumo dos fundamentos da defesa e da acusação, além das provas apresentadas pelas partes. A seguir, dois senadores que apoiam a presidenta e dois que são favoráveis ao impeachment devem apresentar seus argumentos, cada um com direito a cinco minutos de fala.  Por fim, o momento da votação. Lewandowski fará a pergunta a seguir aos parlamentares:
“Cometeu a acusada, a Senhora Presidente da República, Dilma Vana Rousseff, os crimes de responsabilidade correspondentes à tomada de empréstimos junto à instituição financeira controlada pela União e à abertura de créditos sem autorização do Congresso Nacional, que lhe são imputados e deve ser condenada à perda do seu cargo, ficando, em consequência, inabilitada para o exercício de qualquer função pública pelo prazode  oito anos?”.
A votação, nominal e aberta, acontecerá por meio do painel eletrônico, ao contrário do que houve na Câmara, realizada pelo microfone. São necessários 54 votos de 81 para se concretizar a perda do mandato de Dilma Rousseff. Encerrada a votação, o presidente do STF lavra e lê a sentença.

Everaldo

Licenciado em Física pelo Instituto Federal do Sertão Pernambucano. Professor de matemática e física do Ensino fundamental e médio da rede estadual de Pernambuco. Jornalista registrado sob o número 6829/PE, o blogueiro Everaldo é casado com Amanda Scarpitta e pai de duas filhas lindas, Kassiane e Kauane. O foco principal do blog é informação com responsabilidade e coerência, doa a quem doer!

Você pode gostar...

Deixe uma resposta