Política: Vilmar vai ganhando à adesão da oposição.

A campanha política em Lagoa Grande no Sertão de Pernambuco vem fervilhando e claro, cada um querendo defender seu lado.

O candidato do PSOL, mantém a campanha sem tumulto e sem adesões. Por outro lado, o candidato verde vem aparentemente firme, mas sem adesões pelo menos não conhecemos nada divulgado no facebook do candidato ou correligionários, enfim, uma disputa pacata, aparentemente ‘sem graça’.

Entretanto a polarização está mesmo entre o candidato do PSB, Dhonikson Amorim e o candidato Vilmar Cappellaro do PMDB.

Vilmar que não perde a oportunidade de escancarar apoios por onde passa e principalmente às adesões que vem recebendo do PSB, PV e até mesmo alguns do PSOL. O time de Vilmar Cappellaro foi reforçado pelos ex-aliados de Dhonikson Amorim: Vice-prefeito Roque Cagliare, ex-chefe distrital de Jutaí Francisquinho, Antonio da Baixa Funda, dos vereadores: Dotor de Iolanda e Mantena, do suplente, Nena Gato, ex-secretário Ademar Nonato e outros, ou seja, o preço da perca desses aliados viram no dia 02 de outubro.

Já o prefeito Dhonikson Amorim não tem mostrado conquistas de apoios, pelo contrário, ao longo do governo perdeu diversas lideranças e agora na reta final da campanha vem perdendo terreno para Vilmar que de vez enquanto vai mostrando uma carinha que era PSB e agora é PMDB.

Everaldo

Licenciado em Física pelo Instituto Federal do Sertão Pernambucano. Professor de matemática e física do Ensino fundamental e médio da rede estadual de Pernambuco. Jornalista registrado sob o número 6829/PE, o blogueiro Everaldo é casado com Amanda Scarpitta e tem como foco: informação com responsabilidade e coerência.

Você pode gostar...

1 Resultado

  1. Manoel Messias disse:

    Não! “sem graça” é ver pessoas sendo compradas com ofertas de vantagens, emprego na prefeitura, é ver a máquina publica sendo usada de forma eleitoreira, e ver que alguns candidatos sonegam informações até na declaração de bens. Uma campanha e vista como sem graça por muitos pelo fato de não fazer festança é atestado de alienação do eleitorado. Porém por onde o candidato sem graça passa as pessoas que não querem apenas vantagens pessoais, vêem nele o melhor nome, enquanto vai um que se vende, se agrega mais pessoas que se cansaram da polarização. Vejamos o que acontece no dia 2, se mais uma vez a campanha mais cara é a que ganha.

Deixe uma resposta