Lagoa Grande e outras seis cidades do Submédio SF assinam termos de compromisso para elaboração do PMSB

O Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF) vai subsidiar a elaboração dos Planos Municipais de Saneamento Básico de sete municípios da região do Submédio São Francisco. Na tarde desta terça-feira (03), foram assinados, os termos de compromisso das cidades beneficiadas (Lagoa Grande, Abaré, Chorrochó, Macururé , Floresta, Tacaratu, Rodelas e Glória). A solenidade aconteceu na Câmara de Vereadores da cidade pernambucana de Lagoa Grande, a 661 km de Recife.

As empresas responsáveis pela elaboração dos planos, Envex Enganharia e Key Consultoria, terão o prazo de 10 meses para apresentar o relatório final dos PMSBs, que compreende seis produtos. Para isso, será realizada a formação do grupo de trabalho, responsável por garantir a operacionalização do plano, além de reuniões periódicas de alinhamento, audiências públicas, mobilização social em eventos setoriais com debates, oficinas, reuniões, seminários e conferências.

Os municípios são de pequeno porte com idades entre 22 e 131 anos, e a variação populacional entre eles é de 7 a 30 mil habitantes aproximadamente. Durante o ato, os prefeitos e representantes das cidades se comprometeram mediante a assinatura dos termos a garantir o fornecimento às empresas contratadas de todos os documentos, mapas, bases de dados e informações disponíveis nas Prefeituras que sejam importantes para a elaboração do Plano.

Para o comerciante Francisco de Assis Ferreira, morador da cidade de Lagoa Grande, a elaboração do plano da cidade representa a esperança de melhorar a qualidade de vida da população. “Além de significar a melhoria da nossa vida retirando os esgotos da nossa porta e dando a destinação correta, a gente espera que as obras apontadas por esse estudo possam também significar um ganho para o rio São Francisco”.

O planejamento que tem o objetivo de apresentar o diagnóstico do saneamento básico nos municípios deve estabelecer ações viáveis e estruturantes para o abastecimento de água em quantidade e qualidade; esgotamento sanitário; coleta, tratamento e disposição final adequada dos resíduos e limpeza urbana; e drenagem das águas pluviais. O plano deve atender a perspectiva dos próximos 20 anos com revisão a cada 4 anos.

“Com o advento da Lei 11.445 todos os municípios devem ter o Plano de Saneamento Básico e desde 2014 têm essa obrigatoriedade para a captação de recursos. E enquanto Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco, consideramos a elaboração e execução do plano algo importante e prioritário. Foram 22 projetos apresentados à Câmara Consultiva Regional do Submédio São Francisco e estes são os sete municípios selecionados. Temos a consciência e queremos reforçar que esse passo vai contribuir para o desenvolvimento socioeconômico das cidades, e com o rio São Francisco principalmente, que hoje vive uma situação dramática e não pode mais esperar por ações de preservação”, afirmou o coordenador da Câmara Consultiva Regional do Submédio São Francisco, Julianelli Tolentino. (Do Comitê da Bacia do Rio São Francisco)

Everaldo

Licenciado em Física pelo Instituto Federal do Sertão Pernambucano. Professor de matemática e física do Ensino fundamental e médio da rede estadual de Pernambuco. Jornalista registrado sob o número 6829/PE, o blogueiro Everaldo é casado com Amanda Scarpitta e pai de duas filhas lindas, Kassiane e Kauane. O foco principal do blog é informação com responsabilidade e coerência, doa a quem doer!

Você pode gostar...

Deixe uma resposta