Governo de Pernambuco anuncia restrição de público em eventos e passaporte vacinal; medidas entram em vigor na sexta-feira (14)

Visando conter o aumento de casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag), o Gabinete de Enfrentamento à Covid-19 em Pernambuco decidiu adotar novas restrições no Plano de Convivência. A partir da próxima sexta-feira (14), quem quiser acessar serviços de alimentação, cinemas, teatros e museus deverá, obrigatoriamente, apresentar o passaporte vacinal com as duas doses ou a vacina de dose única contra a Covid-19. Esta comprovação será exigida para quem tem até 54 anos. A partir dos 55, os frequentadores também devem apresentar a dose de reforço.

A capacidade máxima dos eventos será reduzida. Agora, o limite de público é de até 3 mil pessoas em locais abertos, de mil em espaços fechados ou 50% da capacidade do local – vale o que for menor. Além da exigência de comprovação de duas doses, será preciso apresentar um teste negativo para Covid-19, sendo com 24 horas de antecedência para exames de antígeno e de 48 horas para exames de RT-PCR.

As medidas são válidas até 31 de janeiro e de suma importância para conter os casos de Covid-19 e Influenza que estão em circulação no nosso Estado. Neste momento, mais do que nunca, é fundamental que usemos máscara e álcool em gel. Além de, claro, se vacinar. Se você faz parte do grupo de mais de 500 mil pernambucanos e pernambucanas com a segunda dose em atraso, procure o ponto de vacinação mais próximo da sua casa.

MPPE

Também nesta segunda, o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) expediu recomendação para que promotores e procuradores “intensifiquem o diálogo com prefeitos e secretários de Saúde de todos os municípios pernambucanos”.

Segundo o procurador-geral do estado, Paulo Augusto Freitas “a situação atual demanda o emprego urgente de medidas de prevenção, controle e contenção de riscos, danos e agravos à saúde pública”.

O MPPE aponta a necessidade de “ampliação da rede assistencial à saúde, avanço na vacinação e reforço na fiscalização das medidas não farmacológicas para prevenção, como distanciamento social, uso correto de máscaras e higiene sanitária.

Os promotores e procuradores foram orientados a cobrar a retomada dos planos de contingência municipais, com atenção integral às pessoas diagnosticadas com Covid-19 e gripe causada pelo H3N2.

Nesse sentido, o MPPE vai fiscalizar o funcionamento das unidades de saúde e a reativação de leitos de retaguarda, enfermarias, hospitais de campanha, dentre outros, “a fim de ampliar a capacidade de atendimento”.

O segundo ponto de atenção é a vacinação. A recomendação aos promotores é de cobrar a ampla divulgação da importância de o município imunizar os cidadãos, realizar busca ativa dos indivíduos que ainda não completaram o ciclo vacinal e reforçar as equipes nos pontos de vacinação, de modo a ampliar os horários de atendimento.

Everaldo

Licenciado em Física pelo Instituto Federal do Sertão Pernambucano. Professor de matemática e física do Ensino fundamental e médio da rede estadual de Pernambuco. Jornalista registrado sob o número 6829/PE, o blogueiro Everaldo é casado com Amanda Scarpitta e pai de duas filhas lindas, Kassiane e Kauane. O foco principal do blog é informação com responsabilidade e coerência, doa a quem doer!

Você pode gostar...

Deixe um comentário